terça-feira, 17 de novembro de 2009

Déjà vu:

"A vida dos jornalistas eslovacos [também] não é um mar de rosas. Confrontados com um Governo populista, que procura amordaçá-los através da lei e dos processos judiciais, conseguem, no entanto, revelar numerosos escândalos." Presseurop

1 Caixa do leitor:

Marcelo disse...

Portugal, está mergulhado no foço tenebroso da corrupção e impunidade.
Hoje, vivesse o conformismo em detrimento da reivindicação e da e da legitima necessidade de justiça.
Vivemos em DEMOCRACIA, amordaçados pelo conformismo e pela falta de sentido de justiça.
A impunidade é o sentimento dominante. O acesso à justiça, está ao alcance dos mais ricos e poderosos. A vitimização é a palavra de ordem, transmitida em directo pelos canais de televisão como forma de pressionar e amordaçar a justiça, justificando os indícios em directo, desmontando o puzle que os indiciados criaram.
Portugal está muito à frente da Sicília no que concerne à máfia organizada ao mais alto nível.
Em Portugal, todos os processos mediáticos morrem a partir do momento em que se tornam públicos, atirando por terra as nossas garantias em relação ao segredo de justiça, perdendo o sentido e garantia de justiça que deveríamos ter e respeitar.
Haja coragem e vontade para mudar este estados de coisas.
Aprendamos com as sociedades que têm como base os direitos, deveres e garantias e um pleno acesso à justiça, sem diferenças entre ricos e pobres.
Só assim Portugal pode florescer e estar no plutão da frente.