sábado, 21 de novembro de 2009

A conveniência e os inconvenientes...

"A Europa ficou pasmada", perante a nomeação de dois "desconhecidos" – dois "figurantes", para os lugares cimeiros da União Europeia."

"A nomeação do primeiro-ministro belga, Herman Van Rompuy, para o cargo de presidente do Conselho Europeu e da comissária britânica do Comércio, Catherine Ashton, para o de Alta Representante da Política Externa está longe de agradar à imprensa europeia, que esperava figuras mais marcantes à frente da Europa."

"Segundo The Guardian, "a Europa retomou, tranquilamente, os seus velhos hábitos. Um acordo franco-alemão sobre um belga desconhecido é a forma exacta como as coisas têm vindo a acontecer até à data.

Como se os suecos, os polacos e os outros todos nunca tivessem entrado para o 'clube'.

Não houve ‘fumo branco’, mas a nomeação secreta através da qual as 27 nobres democracias tomaram a decisão tornam as práticas do Vaticano quase transparentes." presseurop

2 Caixa do leitor:

Marcelo disse...

A União Europeia e nomeadamente os seus órgãos, começaram a perder o sentido de dever e os princípios que nortearam a evolução da UE.
Tudo começou com a CECA, anos mais tarde surge a Euratom, a CEE, a CE e actualmente a UE.
Cada uma destas fases evolutivas representaram passos importantes e firmes na construção e coesão da Europa.
Actualmente, assistimos ao egocentrismo dos mais fortes a tentar subjugar os mais fracos, deixando cair por terra o princípio da coesão política, social, monetária e económica.
Sinto que os países estão mais voltados para si mesmos em detrimento dos princípios integralistas.
A UNIÃO EUROPEIA está a caminhar para a desintegração e para foço entre ricos e pobres.

A ver vamos, onde isto irá parar.

Marcelo disse...

Bolsa para Empreendedores.
É uma ideia interessante, mas vivemos em Portugal.
Analise comigo:
- Quem seriam os empreendedores?
R:em 90% dos casos, os filhos dos empresários corruptos e mente captos, que têm como objectivo principal parasitar as empresas, transformando-as em máquinas de fazer dinheiro para o seu belo prazer, pagando uma miséria aos funcionários e quando os lucros não corresponderem às exigências dos luxos e vícios, abrir falência e arranjar um novo negócio mais rentável e onde seja permitido roubar ainda mais.
É claro que não à regra sem...