domingo, 10 de abril de 2011

Portugal poderá falir, é certo! Mas uma certeza perdurará...

Um povo como o nosso, catalogado de 'terceira',  que sempre se habituou a viver com pouco ou nada; durante as legislaturas dos governos de Sócrates, sem ter de emigrar para voltar 20 anos depois para contar as experiências vividas por lá; deu-se ao 'luxo' de, pelo menos uma vez na vida,  experimentar 'in loco'  a verdadeira sensação daquilo que é ser cidadão europeu de 'primeira', na sua terra.

Por mais ilusório que possa parecer, nesta ultima década, a maioria dos trabalhadores nacionais teve acesso fácil a qualquer tipo de crédito, à habitação, e sem mencionar um inúmero de programas de incentivos, acesso fácil, á criação do seu próprio emprego.

Mais, como nas memórias deste povo perdurará para sempre, para além da imagem do politico 'amigo', os tempos áureos onde foram felizes, por lhes ter sido facultado o acesso àquilo que o anteriormente lhes era vedado; o  povo, que a partir de hoje, na sua plenitude e esplendor, viverá 'teso', nunca poderá vir a ser, segundo eles, 'ingrato' ao ponto de não votar, nas próximas eleições, naqueles que sempre lhes deram  tudo!
Ou seja, dinheiro, antes,  e frustações, agora!

0 Caixa do leitor: